quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Aarophat & Illastrate: Black Noise

Ano: 2009
Gravadora: IllSevenz
Produtor: Illastrate (todas as faixas)
Participações: Boog Brown (faixas 1 e 12), Dynas (5 e 11), Dolo (6), Dev Huskey (7), Mojo Swagger (9), Small Eyes (12), No Joke (14).

Como dito por um blogueiro americano, é impressionante como todo ano surge um monte de álbuns aparentemente do nada, com artistas relativamente desconhecidos, e que acabam fazendo bastante barulho. Outra teoria, essa deste humilde escriba, é de que o rap nos EUA é que nem o samba ou o futebol no Brasil. Há qualidade em profusão, mesmo que ninguém nunca vá conhecer aquele seu vizinho camisa nove que barraria facilmente o Obina. Assim, provavelmente você nunca conheceria a dupla Black Noise, formada pelo emcee Aarophat e o beatmaker Illastrate. Mas acredite: eles barrariam sem maiores problemas muitos "medalhões" do rap. E "Black Noise", o disco, é a prova disso.

Illastrate talvez seja mais conhecido, por já ter contribuído com produções para outros nomes alternativos - a ótima Tiye Phoenix, por exemplo -, enquanto Aarophat foi descoberto por Rasco, dos Cali Agents. Segundo reza a lenda (e o release dos caras), tanto emcee quanto produtor se encontraram apenas 14 horas antes de começarem a gravar o disco. Se isso for verdade, então a química dos dois é realmente perfeita, tipo almas gêmeas feitas uma para a outra.

Tudo isso porque as rimas diversificadas e o flow agressivo e confiante de Aarophat casam perfeitamente com os instrumentais imaculados do pequeno monstro que atende pelo nome de Illastrate. Após ouvir a primeira faixa do álbum, você terá a certeza: nenhum disco neste ano, quiçá nos últimos anos, foi abençoado com baterias tão boas. Não à toa, o carro-chefe da produção de Illa são as chamadas "dirty drumz", ou seja, "baterias sujas". Aliás, é clara a proeminência de caixa e bumbo no mapa dos instrumentais; os samples são relegados a segundo plano, apenas complementam o espetáculo da batida. Acredite: há muito tempo você não balançava a cabeça para um beat do jeito que irá balançar para os presentes em "Black Noise".

Assim, sob o comando das caixas de Illastrate, Aarophat tem um grande desafio: um emcee apenas correto manteria o nível alto, mas um cara inspirado faria do álbum um clássico. Infelizmente, mas de forma compreensiva, o pobre rapper fica no meio do caminho. Com voz e levada bem parecidas com a de Sean Price, Aaro ainda não atingiu a mesma igualdade em termos de letras. Ainda assim, ele brilha em faixas como "Midwestkids", a carta de apresentação da dupla, com uma linha de baixo densa e um refrão cantado pelo emcee com facilidade incrível; "Watchagunnado", uma levada reggae que se apoia nas rimas intricadas de Aaro; e "Ghetto2Ghetto", a já tradicional canção tratando das agruras das classes baixas.

Outros destaques incluem o pancadão supremo do disco, "Chips". As caixas são tão pesadas que sua reprodução em sistemas de som poderosos deve ser ministrada com parcimônia. "In The Trunk" é uma pororoca no meio das costas leste e oeste. O batidão pesado nova-iorquino dialoga com os sintetizadores G-Funk de uma forma impossível de se imaginar na época de Tupac Shakur e Christopher Wallace. Ah, e torça para que o refrão não grude na sua cabeça por alguns dias.

Enfim, "Black Noise" é um álbum que não pode ser desprezado. O trabalho de Illastrate na produção é realmente impecável, dada a direção que ele escolheu dar e a forma como ele conseguiu executá-la perfeitamente. Não é exagero dizer que a estrela do disco é a bateria de todos os beats; todo o resto gira ao redor disso. Ainda assim, o projeto acaba não tendo nenhum single de destaque, sendo recomendado, pois, que se ouça as 14 faixas em sequência. Porém, diferente do último álbum resenhado no blog, este não é para ser apreciado enquanto relaxa. Tente coisas com mais adrenalina, como um basquete na rua, uma sessão de espancamento no irmão menor, uma corrida da polícia.

Aarophat & Illastrate as Black Noise - Black Noise
1 - Tape Deck Intro
2 - Midwestkids
3 - Ghetto2ghetto
4 - Y a M
5 - Lay It Down
6 - Whachagunnado
7 - Going Places
8 - Driftin
9 - Chips
10 - Higher (Revolution)
11 - Center Stage
12 - Midwestkids (Reprise)
13 - In the Trunk (Bonus)
14 - Lethal (Feat No Joke) (Bonus)

Download

2 comentários:

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

Anônimo disse...

Die Auswahl an Anhängern ist riesengroß und die thomas sabo online shop deutschland Wahrscheinlichkeit, dass jemand genau das schmuck thomas sabo gleiche Bettelarmband wie man selbst trägt, ist verschwindend ohrringe creolen gering. Auch nach vielen Jahren noch begeistert das Bettelarmband seine Besitzer. Es strahlt einen ganz eigenen thomas sabo uhren billig Charme aus und kann sowohl Glückssymbole, Armband mit Anhänger als auch Liebesbezeugnisse, Freundschaftszeichen oder thomas sabo schmuck günstig einfach modische Akzente beinhalten. Je nach dem, thomas sabo schmuck wie man es schmückt, kann es elegant, sportlich, modisch, thomas sabo charm club anhänger schlicht oder ausgefallen wirken. Es passt sich auf diese Weise immer wieder dem Anlass und dem gewählten thomas sabo shop Kleidungsstil an. Manche Trägerinnen weisen nach einiger Zeit zuhause eine richtige kleine Sammlung an Anhängern thomas sabo engelsflügel auf, um das Bettelarmband immer wieder neu schmücken zu können. So bleibt es auch nach langer Zeit immer noch interessant und kommt niemals aus der Mode. Der Design- und Produktionsprozess bei der Life Kollektion ist sehr ähnlich wie bei der Oliver Weber Kollektion.