quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Ogi: Premonição

Como divulgado nos últimos dias no Twitter, aqui está o single "Premonição", do álbum de estreia do emcee paulistano Ogi, chamado "Crônicas da Cidade Cinza". Esta primeira faixa é um aperitivo do que poderemos encontrar no disco, que tem previsão para sair no começo de 2010, pela 360 Graus Records: estórias sobre o cotidiano de São Paulo, a tal cidade cinza. E ninguém melhor para relatar os acontecimentos da metrópole do que Ogi, integrante do Contrafluxo e um dos caras mais consistentes no rap brasileiro atualmente. Basta ver as recentes participações dele e perceber: ele roubou a cena em todas.

Em "Premonição", o mote das letras é, segundo o próprio Ogi, sobre pichação, uma narrativa de um sentimento comum a ele nos seus tempos de pichador. Aquela angústia, aquele frio na barriga antes de fazer algo legalmente errado mas pessoalmente satisfatório. E é essa dúvida que carrega o single e faz as rimas de Ogi transcenderem o próprio tema. No fim das contas, são versos que podem fazer com que qualquer um se identifique e pense numa situação semelhante, em que esteve receoso de dar um novo passo na vida, equilibrando-se numa linha tênue entre o desafio e o medo.

E toda essa divagação e o clima soturno de um Ogi solitário na rua vendo, indeciso, os "companheiros" partirem para a missão são facilmente traduzidos no beat de DJ Caíque. O loop empregado é emblemático: ele vai colar no seu ouvido tanto quanto o refrão, mas não perde a sujeira e aquele toque turvo proporcionado pela narrativa. Já adianto as desculpas pelo trocadilho infame, mas a premonição que tenho com este single é que o começo de 2010 nos brindará com mais um ótimo disco nacional e mais estórias para passarmos para nossos amigos numa noite fria.

E, não bastasse a opinião deste escriba, os leitores do Boom Bap ganham, de quebra, depoimentos daqueles diretamente envolvidos na criação do single. Desde os protagonistas Ogi e Caíque até o criador da arte do single, Pifo, passando por aqueles privilegiados que ouviram o resultado final em primeira mão. Confira o making of de "Premonição":

Ogi: “O conceito desta faixa foi inspirado no que eu vivi no tempo em que fazia pichação. Eu sentia que ia dar errado, mas mesmo assim ia. Foi o que procurei passar nesse som. Algumas pessoas acham que se trata de alguém me chamando para ir roubar, outros acham que é para usar drogas. Esta ambigüidade foi proposital, mas não é uma canção com muita analogia ou metáfora, é algo mais direto. Escrevi a letra para que mesmo as pessoas que não tenham ligação com o picho possam se identificar com a mensagem. Logo em seguida, vem uma faixa chamada “Noite Fria”, que fala justamente de uma incursão de picho que dá errado.

Eu pirava muito em picho, desde moleque, achava foda a escrita. Foi o que me colocou na rua, onde eu aprendi o que era maldade, o que me deu experiência. Fiquei nessa vida direto de 1995 a 1999. Lembro que íamos pichar ouvindo rap, músicas como “Tá na hora”, do Consciência Humana, e “Durma com os anjos”, do Produto da Rua. Mas, para escrever, estes sons não me influenciaram. O que vivi me influenciou. Quis retratar o que senti muitas vezes, os caras enchendo o saco para eu ir, aquela angústia, o medo, aquela voz falando para eu não ir. Engraçado que no som eu cito o que não fiz, porque nunca ouvi o meu sexto sentido. Eu sempre ia, mesmo prevendo que algo fosse dar errado.

Eu gravei ‘Premonição’ há uns 15 dias, sozinho, na minha casa. Eu mesmo vou lá, aperto o rec e corro para o provador. Sempre gravei só. Eu gosto, porque fico mais solto, posso repassar, me sinto mais à vontade. O beat eu peguei com o DJ Caíque, eu tinha a ideia, mas não tinha o tema. Assim que ouvi a batida, veio a melodia na minha cabeça , a frase ‘vai na fé, nunca se esqueça’. E a partir daí eu desenvolvi a música.”

DJ Caíque: “Eu fiz o beat em janeiro de 2007. Eu faço as batidas para mim mesmo, nunca fiz para os outros. Sai algo mais pesado ou mais tranqüilo dependendo de como eu estou no dia, do que estou escutando. Não faço pensando em alguém. O processo foi como o de todos os outros: eu fico escutando os discos, quando curto uma parada, eu pego e tento fazer um instrumental com aqui.
O Ogi pegou a batida naquela época mesmo, e só foi sair agora. Lembro que ele falou: ‘Já era, é meu, tomei!’ (risos). Eu tenho acho que quatro beats no disco dele, e ‘Premonição’ é a mais antiga, todas as outras são recentes.
Eu gostei bastante do resultado, o Ogi encaixou uma levada para o beat que ficou foda demais. Dificilmente um cara faz isso, e ele tem esse dom. E não é só o flow, é a letra, a ideia...”

Munhoz aka Prof. M.Stereo: "Beat sinistro e soturno do DJ Caíque, perfeito pra balançar a cabeça, casa perfeitamente com a narrativa cheia de ambivalências de Ogi. Do primeiro ao último minuto dessa crônica extremamente urbana, uma dúvida paira no ar: 'Do que ele exatamente está falando?'. O protagonista, em dúvida, se questiona, apesar da insistência de seus parceiros. Ele resolve seguir sua intuição e desiste da missão. Será foi a escolha certa? 'Vai na Fé irmão, nunca se esqueça'."

Rodrigo Brandão: "Ogi é sem dúvida o MC mais talentoso a surgir na cena nesses últimos cinco anos, e a notícia de um disco solo do cara é mais que bem vinda. Falo por mim e todos aqueles com ouvidos apurados, que não acreditam no hype, nem levam gato por lebre. Por isso, escutar a primeira faixa desse trampo a ganhar as ruas me gerou muita satisfação. Além de ser um rap assassino, diamante em estado bruto que não precisa de lapidação, 'Premonição' é o prelúdio, a preparação pro que está por vir, e que há de prevalecer!"

Kamau: "Esse som é um bom indício do que está por vir. Mesmo. Ogi comprovou a maturidade que eu já percebi desde o "Superação". Levada e rima bem combinadas e história muito bem desenrolada. Se essa é só a Sinopse, quero ler cada capítulo dessas 'Crônicas'."

Pifo: "Tentei alinhar meu trampo com o beat e a ideia que ele fala na música, e é classe, porque a gente é truta, fica mais fácil e natural, não rola a ideia 'eu quero desse jeito', a ideia fica mais no 'olha o som novo que eu fiz'. Uma coisa legal, também, é que nossos trampos estão mais maduros, e o que importa mesmo no fim das contas é poder fazer os trampos com os amigos e essa idéia de 'conceito' acaba ficando em segundo plano."

Curioso para ouvir o single? Faça o download agora!

Outros links:
Myspace do Ogi
Twitter do Ogi: