sexta-feira, 9 de abril de 2010

Boom Bap Jams IV

Acharam que tinha acabado, né? Pois depois de alguns meses sumido, o Boom Bap Jams volta com mais alguns sons que não saíram do MP3 Player avariado deste escriba.

Army of the Pharaohs - Bust'em In
Como o nosso amigo Campagnoli disse na resenha do disco, o AOTP não veio para brincadeiras no terceiro álbum do coletivo. A volta de Apathy e performances impecáveis de Celph Titled elevaram bastante a qualidade de "The Unholy Terror". E "Bust'em In" é o maior exemplo disso. A melhor faixa do disco é produzida por Celph e é arrebatadora, utilizando elementos de música clássica para trazer o terror. Junte isso aos malabarismos líricos de Reef the Lost Cauze, Ap - "Você quer samplear isto? Você precisa ler sânscrito / e viajar para o topo do Monte Sinai para transmitir / correndo pelo Mar Vermelho como um escravo fugitivo / segurando as paredes de água com minhas ondas sonoras" - e Celph e a um refrão que vai ficar na sua cabeça por muito tempo e você tem mais um clássico de 2010.

Murs & 9th Wonder - Asian Girl
A dupla se juntou novamente para lançar "Fornever" e não desapontou. Em "Asian Girl", aquela faixa que promete fazer bastante barulho e virar até hino, Murs faz o que sabe melhor , rimando as desventuras com o sexo oposto - no caso, as asiáticas do sexo oposto, as homenageadas da canção. E o emcee ainda ganha uma companhia: 9thmatic, a versão rapper de 9th Wonder, que praticamente ignora o assunto da faixa no seu verso. A batida é simples, usa sugestivamente um sample oriental para ilustrar o tema, e a bateria mantém a estética boom-bap de 9th.

Reflection Eternal - In This World
Talib Kweli e Hi-Tek estão prestes a retornar como Reflection Eternal ao jogo depois de quase uma década do lançamento do primeiro álbum. "In This World" é um dos singles de "Revolutions per Minute", que deve sair em maio, já conta com um vídeo e é basicamente a constatação de Talib de tudo o que os caras alcançaram nestes últimos anos. Para ilustrar o ponto da faixa, Hi-Tek sampleia a famosa frase de Jay-Z - "Se habilidade vendesse, verdade seja dita / eu seria provavelmente um Talib Kweli, liricamente" - e Talib, demonstrando o entrosamento que sempre marcou a dupla, arremata: "Eu sou respeitado pelos melhores emcees / a receita para o meu sucesso? / uma parte de dor e sofrimento, duas partes de cérebro e correria / tudo misturado com a produção do Hi-Tek". E pode acreditar: só os samples vocais e os graves do beat de Hi-Tek são suficientes para abrilhantar ainda mais a faixa.

Gang Starr - Royalty
Nem só de lançamentos vive o escriba de um blog sobre rap. Os problemas de saúde de Guru me fizeram revisitar toda a discografia do grupo e perceber novamente como eles eram bons. Continuo achando que, apesar de ter boas letras, Guru deixava a desejar um pouco com seu flow nos primeiros álbuns. Mas, em "Moment of Truth", tudo se encaixou perfeitamente. E "Royalty", o single de maior sucesso do disco, é emblemática. Já imaginou os cantores K-Ci e JoJo sobre uma batida de Premier? Pois é, eles cantam o refrão baba da faixa, Primo faz sua parte com um beat esplendoroso, mas é Guru quem brilha com rimas sensacionais, discorrendo numa só música sobre dinheiro, filosofia Five Percenter, mulheres interesseiras e ainda mandando um salve para alguns DJs: "O dinheiro, entretanto, faz as pessoas agirem engraçadas / assim que ganham alguma luz, parecem uns estúpidos / (...) Onde você estiver, Baby Pah, perceba que sua essência é divina / e deixe-a brilhar / enquanto nós refinamos / (...) As meninas aí fora parecem amáveis / mas não tem controle de suas vidas, por dentro são feias".

Diabolic - 12 Shots
Eu conheci o Diabolic via Immortal Technique, na famosa faixa "Peruvian Cocaine", na qual D interpretava o governante de um país de Terceiro Mundo. Confesso que não me impressionei muito por ele e o perdi de vista. Eis que neste ano o cara lança seu álbum de estreia, "Liar and a Thief" e prova que tinha alguma coisa errada com o meu ouvido. Ele é aquele emcee super técnico, capaz de soltar milhões de punchlines e rimas multissilábicas e fazer tudo parecer fácil. Em "12 Shots", porém, a gente pode ver outra faceta do estilo de Diabolic. Nesta faixa conceitual, o rapper fala sobre alcoolismo, narrando em primeira pessoa uma noite num bar, onde ele começa a beber, até ficar completamente bêbado, melancólico e se matar. O conceito é meio parecido com uma faixa do MV Bill, "Loira Gelada", mas Diabolic investe mais no psicológico do personagem, relatando bem o começo sóbrio e triste, o estágio mediano mais "alegre" e o final sem esperança: "Pensamentos como 'eu me odeio hoje em dia' estavam correndo / estou realmente falido e minha filha está a quilômetros daqui / (...) Eu sou um meio otário, um pai pela metade, um rapper pela metade / e metade do tempo sou apenas um bêbado bastardo".

Ol' Dirty Bastard - Wastin' Time (No More)
É impressionante como a morte de certos artistas pode te impactar como se fosse o falecimento de um parente próximo. No caso de alguns deles, você é tão envolvido com a música deles que eles já se transformaram em amigos íntimos. Quando ODB morreu eu ainda não conhecia muita coisa sobre rap, portanto não mensurei na época o tamanho do baque. Mas, hoje em dia, como fã ardoroso do Wu e do Dirt Dog, descobrir uma faixa como "Wastin' Time" é um choque imenso. Na faixa, provavelmente uma das últimas a serem gravadas por ODB, o cara faz um mea-culpa, promete a si mesmo - e a quem ouve a música - que não vai sucumbir às drogas nem desperdiçar seu tempo. É, sem dúvidas, uma das canções mais emocionantes que já ouvi, porque traz o próprio rapper falando sobre isso, quando por toda sua carreira o comum era outras pessoas falarem sobre este problema. Para adicionar mais dramaticidade, ele morre pouco tempo depois. "Wastin' Time", portanto, é a versão de ODB para sua própria vida, a prova de que, sim, ele queria se recuperar, mas era tarde demais.

Animalistc - Animalistic
O duo holandês Animalistic lançou neste ano o álbum gratuito "Fauna", que consiste num dos melhores trabalhos do ano. O disco é repleto de batidas à la anos 90, com batidas retas e samples de jazz. "Animalistic" é uma das faixas que exemplifica a abordagem dos caras. Com uma bateria simples, sem muita frescura, um baixo potente e um loop de piano discreto, está pronto o background perfeito para os caras rimarem num inglês cheio de sotaque que dificulta bastante o entendimento das rimas. Mas não importa, o refrão é contagiante e só o instrumental é suficiente para fazer qualquer um balançar a cabeça.

Mekolicious - The Youth
Pete Rock sempre teve uma queda por produzir nomes obscuros da cena underground de Nova Iorque. Depois de Deda e dos caras do InI, ele se juntou a Mekolicious, que chegou inclusive a ter destaque em publicações norte-americana, mas também sumiu. Os trabalhos do Soul Brother #1 com Mekolicious foram lançados apenas em vinil e são raríssimos, mas é possível achar pela internet versões ripadas do rádio. "The Youth" é uma deles e, apesar da qualidade ruim do áudio, é possível apreciar a produção sempre elegante de Pete Rock, com elementos de jazz e bateria sempre vigorosa.

4 comentários:

Anônimo disse...

salve felipe, esse ultimo que vc citou e o meccalicious, mas ele usa diversas variacoes, essa mekolicious eu nao conhecia, ouvi o som aqui, e aquela pegada classica de pete daquela epoca, tenho somente um som do rob-o com o mecca participando, rhyme tigher, que é um classico underground, tem tb uma versao que ja ouvi da strange fruit do album soul suvivor que ele participa, com tragedy khadafi e noreaga, mas nao foi a que saiu no disco (que tem cappadona, sticky fingaz, tragedy khadafy)... de resto realmente o que vi dele sao participacoes com aliados do pete rock e alguns singles white labels perdidos por ai, que ainda nao tive a chance de ter...

de sons novos me surpreendi com a Eternia, que sempre achei uma mc mediana, mas ela se superou com o single que fez pro album dela que ta sendo produzido pelo moss - its funny com part. do joel ortiz...

http://www.mediafire.com/?nfzmzmgtyj0

f-zero

Paulo7th disse...

Opá, demorei, mas vou postar minha lista! Que é um pouco extensa!

MURS & 9th Wonder feat. Sick Jacken and Uncle Chucc - The Problem Is... (foda esse som! Sem mais!)
http://www.youtube.com/watch?v=hI7ReX4Qlds

Patrick Horla - Postulado Horla (NADA ALÉM DA VERDADE! FUDIDASSO!)
http://www.youtube.com/watch?v=N-ZC7OBwCN4

Diabloic feat. Deadly Hunta and John Otto - Riot
http://www.youtube.com/watch?v=zdX-CLdCzQ4

Tragedy Khadafi - The Posse (Shot 'em Up) (bang, bang, ho, ho, ho!)
http://www.youtube.com/watch?v=nKNnReO2-Co

Brotha Lynch Hung - Meat (insano demais! Dixavou!)
http://www.youtube.com/watch?v=rX_Gl4JYJ4Q

Joell Ortiz - Project Boy
http://www.youtube.com/watch?v=vFulD8CrbsI

Freeway & Jake One feat. Omilio sparks and Mr. Porter - Money
http://www.youtube.com/watch?v=ZRhHPxKZfeA

Sabotawj & DJ Bless - Farewell (sou fã do Sutter, dificilmente ele faz um beat ruim)
http://www.youtube.com/watch?v=mZgqo3lbVDM


Agora, peço atenção nesses 3 sons, posso afirmar que os respectivos álbuns são 3 clássicos contemporâneos! Queria postar todas as músicas pra vc's haha, mas fiquem com essas!

Move.Meant - Sunset Sunrise
http://www.youtube.com/watch?v=osELKaOnM8k

Metropolis Now - In My Sole
http://www.youtube.com/watch?v=XEtq6HIhUZI

Windchill - Stand Strong (infelizmente essa não é a que tenho ouvido, não achei ela, mas é foda tamb, o álbum todo é)
http://www.youtube.com/watch?v=IKXcELF1AIA&feature=related

Anônimo disse...

I think, that you are not right. Write to me in PM, we will communicate.

Mia Mossberg78 disse...

Ei,

Gravação HipHop sensação Provy Suflayy lançou seu primeiro single fora de seu próximo álbum!

'A Star Brite Burnin' apresenta "Best Kept Secret" da Nova Zelândia Kiwi Schryvers artista Rachel.

Vá comprar agora no iTunes e outras belas varejistas online por apenas 0,99 centavos!

Confira o vídeo da música agora no youtube!
http://www.youtube.com/watch?v=X06H7IVEbAY