domingo, 15 de junho de 2008

K'Naan: The Dusty Foot Philosopher

K'Naan é um emcee nascido na Somália e radicado no Canadá, bastante elogiado pela crítica e vencedor de alguns prêmios importantes no âmbito canadense. O cara começou fazendo spoken word, e logo encontrou seu caminho no rap. The Dusty Foot Philosopher, seu álbum de estréia, foi muito elogiado e lhe rendeu parcerias e shows com nomes como Mos Def, Dead Prez e Pharoahe Monch. Agora, em 2008, ele lança uma nova versão do álbum, com algumas faixas novas e outras mixadas novamente: é a Deluxe Edition.

O que chama a atenção sobre K'Naan são suas letras bem escritas, cujos temas giram em torno sempre da situação da Somália, seu país natal, além de questões políticas e mensagens de incentivo. Embora alguns achem o flow dele parecido com o do Eminem, eu discordo, acho que a voz fina pode até explica as comparações, mas o cara tem uma levada um pouco mais puxada para o canto, do que aquela rima seca. Em suma, é um flow diferente, bem trabalhado, suingado, típico de quem tem total controle do microfone e do beat.

Falando em beats, aqui reside outra característica marcante do trabalho desse emcee: a mistura do rap com ritmos africanos. Longe de ser caricata, a produção passeia por momentos mais eletrônicos até a típica percussão da África. São arranjos de muito bom gosto - não encontrei nada a respeito, mas soa como se tudo fosse tocado, e não sampleado - e originais. Apesar dessa mistura, ainda existe espaço para outros ritmos negros, como o reggae e o R&B.

Em um trabalho tão cheio de identidade, fica difícil listar alguns destaques, mas eu vou tentar: Soobax é a música mais conhecida e polêmica do disco, na qual K'Naan critica alguns poderosos da Somália, ligados à venda de armas. O instrumental é o exemplo perfeito do rap-África, com o refrão, inclusive, cantado em somali. My Old Home é uma faixa mais lenta, triste, na qual o emcee descreve sua infância no país natal. I Was Stabbed By Satan é puxada para o reggae, até mesmo na levada do cara. Em Smile, K'Naan troca o discurso ácido por uma mensagem positiva para seus companheiros de luta, pedindo a todos que "nunca deixem eles te verem mal, sorria até mesmo quando estiver sangrando".

Logo em seguida, vem If Rap Gets Jealous, um petardo sonoro, um pouco mais influenciado pelo R&B, com uma guitarra discreta e bateria mais presente. Para completar a seqüência, temos a faixa-título, com uma espécie de flauta no fundo bem legal e um refrão cativante e, por fim, Strugglin', a melhor faixa do disco, uma combinação perfeita de letra sobre os problemas cotidianos que todos nós enfrentamos e um beat tranqüilo, complexo e ao mesmo tempo de sonoridade simples e agradável. Por fim, K'Naan se junta aos Dead Prez e à cantora Stori James em Til We Get There, outra faixa positiva, com mensagem de esperança, com ótimo potencial radiofônico.

Enfim, este álbum talvez não seja muito conhecido, mas é MUITO bom. Traz propostas novas para o rap no campo dos instrumentais, como a mistura com ritmos africanos, coisa que, embora parecesse óbvia devido à ligação rap e negritude, nunca tinha sido tão explorada. Além disso, K'Naan é um ótimo emcee, com letras inteligentes e mensagens relevantes. Não deixe este disco passar.

K'Naan - The Dusty Foot Philosopher
  1. Wash It Down
  2. Soobax
  3. What’s Hardcore?
  4. My Old Home
  5. Moment (Interlude)
  6. I Was Stabbed by Satan
  7. My God (Interlude)
  8. Smile
  9. If Rap Gets Jealous
  10. Dusty Foot Philosopher
  11. Strugglin’
  12. In the Beginning
  13. Hoobaale
  14. African Way feat. Mwafrika
  15. Voices in My Head
  16. My Shadow
  17. For Mohamoud (Soviet) (Interlude)
  18. Until the Lion Learns to Speak
  19. Blues for the Horn
  20. Til We Get There feat. M-1
Download

Vídeo da faixa Soobax: